quinta-feira, 13 de abril de 2017

AMOR PERDIDO







O destino separou-nos na rotunda do Marquês de Pombal.

O teu futuro subiu a Fontes Pereira de Melo,

O meu a Joaquim Augusto de Aguiar.

Nos dez segundos que o semáforo levou a passar do vermelho ao verde,

Vivemos a mais intensa história de amor.

Não guardo rancor pela separação.

A culpa foi dos dois, não podíamos parar os carros e beijar-nos sofregamente no meio de uma rotunda.

Amei-te intensamente, e tu a mim, que percebi nos teus olhos.


Como te chamas?



Sem comentários:

Enviar um comentário