segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

MANUAL DE ESCRITA CRIATIVA



- Desculpe mas olho para si e pelo ar latino, não vou falhar se disser que fala português. É verdade?

- É verdade.

- Tem tempo?

Espero alguém. Quando esperamos é porque temos tempo. Digo que sim, se bem a intimidade com o café tenha ficado por aí

- Já ouviu falar de escrita criativa? Sabe o que é? Interessa-se pela leitura?

Perguntas difíceis. Tento pensar antes de me comprometer com uma resposta. Trata-se de um desconhecido e estou numa esplanada, local incómodo para nos encostarem à parede.

Para além disso tenho dúvidas. Tenho sempre tantas dúvidas!

- Acho que sei o que é escrita criativa - sobre a leitura mantenho-me calado.

O homem, ainda jovem (trinta e poucos talvez) põe-me à frente dos olhos um volume de páginas A4 encadernadas com um espiralado plástico branco e uma mica transparente a fazer de capa.

 Reparo, sem saber porque reparo, na gola acastanhada da t-shirt que já deixou de ser branca. Salta à vista esse rebordo na primeira linha das várias camadas de roupa que tem em cima de si. Ou é friorento num dia de calor, ou traz consigo para onde quer que vá, o guarda-roupa completo.

- Este é o manual mais completo sobre escrita criativa que existe.

Quando alguém me diz uma coisa destas, tão definitiva, tenho a tendência para lhe cuspir na cara. A maioria das vezes não o chego a fazer, não respondo mas fico a chamar-lhes nomes para dentro.

-Tem à sua disposição um estudo comparativo de frases idiomáticas do português. São o melhor alimento da escrita criativa, as frases idiomáticas.

- Compreendo.

- Tem também um dicionário de semântica. De A a Z. O que seriam as palavras sem um significado? A semântica é a alma das palavras. Fundamental para a criação.

- Não sabia.

- Por último, ofereço nove contos originais e únicos. Se fizer todos os exercícios que o manual propõe e seguir rigorosamente as instruções, poderá igualmente vir a escrever textos parecidos com os exemplos apresentados.

- Estou a ver.

- Este curso pode ser de grande utilidade para a sua vida, e estou praticamente a oferece-lo a um custo ridículo.

- Agradeço a proposta, mas de momento não estou interessado – disse cobardemente, com medos de me enganar de novo nas ilusões.

- Tem ar de quem fuma. Fuma?

Ofereci-lhe um cigarro.

- Já ouviu falar de física quântica? Interessa-se por esses temas?

Também gosto de física quântica porque gosto de ser curioso, mas desta vez não sei se lhe vou responder. Encolho os ombros, ele aceita a minha ignorância. Olhou-me num esgar e tive a sensação de me sentir símio.

- É uma pena que não tenha nenhum chamamento para a ciência política. Compilei um manual que faz luz à compreensão da falência das ideologias no mundo contemporâneo.


Comprei o manual da escrita criativa por dez euros e convidei-o para um café numa esplanada burguesa no coração da cidade.

Sem comentários:

Enviar um comentário