sábado, 17 de maio de 2014

O meu Iphone nunca funcionou




Joga-se ao tostão, cara a cara, o momento da vida, no hospital das bonecas.

Mecanismos, luzes fortes, sons estridentes anunciam a expectativa sem uma resposta definitiva que nos descanse.

A continuação da vida em modo suspenso.

Esperança pelo sim.

Que não nos toque o mau som, que não se apague a nossa luz, que as linhas da máquina continuem histéricas, para cima e para baixo. Bom sinal.

Desta vez escapámos, foi o do lado. Somos solidários nos piores momentos, mesmo cheios de egoísmo.

Anjos brancos atarefados de um lado para o outro, sem parar, usam todos os estratagemas e truques e magias.

Uma vezes sucedem, quase sempre, não desistem... são homens.

Um homem de barba vestido de negro, a mulher também, a família imensa, lá fora acampada, em negro, entram constantemente por ali adentro, ambiente desinfectado, sem lavar as mãos.

Não ligam a isso apesar dos protestos constantes dos anjos. Esquecem-se de pôr a bata verde, o verde que separa o ar puro lá fora, de um pesadelo asfixiante à luz do dia escuro.

Numa nesga qualquer mínima dos olhos sempre postos concentradíssimos na jogada que se segue, ele vem ter comigo.

Senta-se ao lado da cama que eu estou a acompanhar.

O senhor é a pessoa mais bem posta deste sitio e por isso venho falar consigo.

Andamos os dois a poupar migalhas ao tempo para o poder levar para casa e vem este com esta conversa!

Na cama que ele acompanha, a coisa não está correr bem, mas estou muito mais interessado na minha.

Nesta sala enorme só me apercebo da existência da minha.

Tenho um Iphone para si a bom preço.

Declino olhar para ele. Concentro-me nos números da máquinas, fundamentais, e dou-lhe a mão, ainda com mais força. Mais força não, mais Amor.

Num intervalo para um cigarro quase derrotado, ele insiste e mostra-me o objecto. Dou-lhe o dinheiro que tenho e não me interessa.

A comunicação que eu quero não é um telefonema em touch screen.

Quero uma ligação directa à vida.

A nossa cama foi desocupada e saímos limpos, prontos para gozar o ar à tripa forra, palhaços, malabaristas, fazedores das mais excêntricas macaquices que nos vier à cabeça.

Mal fugimos, virámos costas e quisemos lá saber das outras camas!

O meu Iphone nunca funcionou mas foi o melhor negócio da minha vida.

AMO-TE.



Sem comentários:

Enviar um comentário